Perfil dos internos Kibo-no-ie

  • Perfil dos Assistidos

    Atualmente, a Kibô-no-Iê abriga cerca de 80 adultos de idades variadas, todos têm deficiência intelectual e alguns, física. Entre as deficiências estão síndrome de Down, paralisia cerebral, distrofia muscular progressiva e outras doenças relacionadas a fatores genéticos ou adquiridos.

    Quem visita a entidade encontra internos muito bem-humorados e comprometidos com a rotina de tarefas, que executam diariamente na Kibô. Além das tradicionais atividades clínicas, como as consultas com médicos, fisioterapeutas e dentistas, os assistidos realizam tarefas lúdicas, educativas e culturais.

    Oficinas de artesanato, musicoterapia, karaokê, aulas de computação, alfabetização e cuidados com a horta: o dia é sempre cheio e repleto de afazeres prazerosos. A participação nas oficinas – que são coordenadas pelos profissionais da terapia ocupacional – e em outras atividades é importante para o desenvolvimento emocional, social e físico de cada um dos assistidos, contribuindo com os processos de construção, coordenação motora, aprendizado, independência e inclusão social.

    Além do dia a dia na sede, aproveitam alguns passeios fora da instituição, como visitas ao Zoológico, teatros, parques, praias, lanchonetes e caminhadas. Para eles, a festa também está garantida em todos os eventos realizados pela Kibô-no-Iê, onde se divertem com os convidados e visitantes.

    Os atendidos seguem uma rotina que os mantêm ocupados e ativos. Têm amigos, funcionários e voluntários que os tratam sempre com muito amor. Seus finais de semana são preenchidos com várias formas de diversão e entretenimento, sempre elaboradas com muito carinho e cuidado pela equipe multidisciplinar. Dentro da Kibô-no-Iê, os assistidos são felizes e proporcionam felicidade a todos os que têm a chance de conviver com eles.

  • Sede

    No dia 22 de outubro de 1972, já abrigando 30 pessoas com deficiência intelectual na Kibô-no-Iê, a fundadora Koko Ichikawa recebeu a doação perfeita para expandir seus sonhos: um terreno de dois alqueires em Itaquaquecetuba para a construção da nova sede da entidade.

    O projeto foi dividido em três etapas e no novo espaço, com 2,7 mil metros quadrados de área construída, os assistidos teriam mais espaço, estrutura e qualidade de vida. A cerimônia de inauguração aconteceu no segundo semestre de 1978, com a entrega da estrutura básica e do primeiro prédio de alojamentos.

    O segundo prédio e o ginásio de esportes Itiro Muto foram concluídos em maio de 1979, e no final de 1988, um terceiro edifício abriu suas portas e estava pronto para acomodar mais abrigados.

    A sede da Kibô conta com dormitórios feminino e masculino, salão de esportes, sete salas de atividades, espaços destinados ao atendimento de fisioterapia, assistência social e psicologia, refeitórios, consultórios médico e odontológico. Para a realização dos eventos beneficentes, a entidade conta com grandes espaços e um palco, que além de servir para as apresentações de cantores e bandas profissionais, é utilizado pelos assistidos, que colocam em prática tudo o que aprendem na aula de musicoterapia e ensaios.

    A Kibô-no-Iê oferece um espaço aconchegante e confortável, proporcionando diversas atividades de entretenimento, aprendizagem e todos os cuidados com a saúde e o bem-estar dos assistidos, trabalhos realizados por uma dedicada e competente equipe de funcionários.

  • A EQUIPE DA ESPERANÇA


    A equipe multidisciplinar da Kibô-no-Iê é formada por, aproximadamente, 70 funcionários, que têm por objetivo cuidar da saúde e do bem-estar de todos os internos. Entre eles estão médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos, técnicos e pajens que, juntos, desenvolvem diversas atividades e terapias para estimular a independência e a melhor qualidade de vida de todos os assistidos.

    Os profissionais se revezam durante as 24 horas do dia, oferecendo um atendimento completo, que prevê proteção, recuperação e a reabilitação. Além das atividades clínicas, a equipe os acompanha e orienta nos afazeres domésticos e tarefas relacionadas à higiene pessoal e alimentação. Deste modo, os assistidos se sentem capazes de cuidar de si mesmos e com vontade de aprender, contribuindo com seu bem-estar e felicidade. O trabalho humanizado, o trato atencioso e dedicado é recompensado aos funcionários da melhor maneira possível: com muito carinho dos internos, alegria e satisfação.

    A fundadora Koko, durante os muitos anos de dedicação e trabalho na Kibô, costumava dizer que “o fato de a inteligência deles não atingir o nível normal definido pelos seus semelhantes, não impede que suas almas sejam puras, tão nobres como a de quaisquer outros”. Ensinamentos como esse e o legado da sensei Koko permanecem guiando os profissionais da entidade. Tratando os assistidos com respeito e amor, oferecem uma vida mais saudável, digna e feliz a todos eles.